Moebius Path


30/01/2012


 
 

*Os Piratas*

É engraçado como algumas coisas mudam o sentido ao longo dos tempos, por exemplo um Nerd no meu tempo era uym pária social, esbanjava em conhecimentos gerais tudo aquilo que ele não tinha em habilidades sociais.
Hoje em dia, eu já vi um boacado de gente "querendo ser nerd", estudando bastante para ser nerd e popular... Não se estuda para ser nerd... Não nos tornamos nerd... NASCEMOS NERD! (e um nerd popular é uma contradição em termos)


Da mesma maneira aconteceu com os "piratas de computador", hoje em dia é todo mundo que sai copiando e distribuindo (com ou sem lucro) qualquer software que encontra. Quando eu comecei, lá para os anos 80, você piratear um programa consistia em você quebrar o código fonte daquele programa e inserir uma marca sua nele, sem que ele perdesse as funcionalidades. O bom pirata fazia isso sem tirar o nome do desenvolvedor do software, normalmente através de uma tela de apresentação.

Parando e pensando agora, eramos pixadores virtuais.

O engraçado, é que boa parte dos "piratas" da época se conheciam e entre alguns rolava uma certa competição de "quebrar" a tela que o outro colocou (ou pelo menos tentar, aí é que estava o desafio). Apesar da competição, havia uma certa honra entre os piratas, o trabalho de um era respeitado pelos outros.

A parte disso que eu gostava era (obviamente) criar as telas e outros colegas meus cuidavam da parte do código (Normalmente feito em Assembly, uma linguagem de baixo nível que eles programavam diretamente no hexadecimal - coisas que você só tem tempo e disponibilidade de aprender quando se tem 14 ou 15 anos)

É uma pena que eu nunca consegui salvar meus arquivos da época.

Fica aqui o meu tributo aos honrados vândalos de tempos antigos, salve:

EIF e LAF
The Evil Sock
Apple Mafia
* Os Piratas * (M.Alavasi & Ivan)
FEFA Apple (Softbusters Sucks!)
Softbusters (Charlie Brown & Parafa - FEFA Sucks!)
Mr.Clean
EMT
Hot Rod (Que quebrou a clássica tela do Captain Goodnight)

 Gone but not forgotten!

(Perdão aos que não foram citados, uma hora eu reviso a lista)

Categoria: Mundo Nerd
Escrito por Raposo às 09h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 
 

Eu Sou o Número Quatro

Estava zanzando pela Americanas esses dias quando vi em um saldão o livro "Eu Sou o Número Quatro" por R$ 17,00, como eu ainda não havia visto o filme e é consenso que os livros costumam ser melhores do que os filmes, resolvi ler o livro para poder criticar o filme com mais vontade (Às vezes me sinto como o Waldorf ou o Statler, os dois velhos do Muppet Show).

A idéia básica do livro, é arranjar um equivalente masculino à saga Crepúsculo, só que ao invés de vampiros sedutores e lobisomens bad boys, a história conta com alienígenas.

Para você que não leu o livro nem viu o filme e não quer ter a história estragada por mim, essa é a hora em que você para de ler este post.

Imagine um planeta chamado Lorien, onde existem duas espécies vivendo em harmonia, os Gardes e os Cepans. Os gardes desenvolvem poderes especiais depois de uma certa idade, que, se estivessem no universo Marvel seriam chamados de mutantes (ponto 1 para a originalidade). Os gardes, aparentemente têm coisas mais interessantes para fazer com esses super poderes do que ficar educando os filhos, então deixam essa parte das fraldas e educação para os cepans, que aparentemente são humanos normais. (talvez eles vivam mais do que nós, os gardes eu sei que vivem até uns 400 anos).

Corria tudo bem até que uma raça alienígena malvada (os Mogadorianos) resolveu aparecer no planeta Lorien e acabar com todo mundo. Praticamente conseguiram, os Lorienos só tiveram tempo de pegar 9 crianças Gardes e mandar para a Terra com seus respectivos cepans (Imagino se um desses 9 se chama Kal-El).

Para a segurança das crianças, um feitiço foi jogado nelas onde elas só poderiam ser mortas em seqüência, caso contrário o atacante sofreria os danos que ele tentasse infligir. (Que se dano o número um, ninguém mandou ser o priomeiro da fila)

o livro e o filme (pelo que eu sei) começam com o tornozelo do número quatro queimando com 3 marcas, sinal de que seu antecessor morreu e ele é o próximo da lista. A partir daí ele e seu cepan se mudam para uma cidadezinha fim de mundo chamada "Paradise".

Não é um mau livro, a leitura é fácil e rápida, mas não reserva grandes surpresas (pelo menos não é aquele monólogo monomaníaco-adsolescente-açucarado que é a saga crepúsculo).

Uma vez que trilogias, quadrilogias e afins estão em alta, esse livro foi escrito como o começo da saga "Os Legados de Lorien", onde devem aparecer mais 2 ou 3 seqüências. Admito que tenho um pouco de saudades do tempo que quando você lia um livro ele contava uma história com começo, meio e FIM. Uma coisa é você ter mais de um livro com um (ou mais) personagens em comum - só para citar um, os livros de hercule Poirot, da Agatha Christie. O fato das histórias terem o mesmo personagem, não implica na obrigatoriedade de você sair comprando o resto da saga para saber como termina.

Espero que, uma vez que é só a primeira parte de uma saga maior, o povo faça os outros filmes (ao contrário do que fizeram com Eragon e A Bússola de Ouro cujos filmes não empolgaram tanto o público e tiveram suas seqüências canceladas)

Volto nesse assunto assim que assistir ao filme.

Categoria: Mundo Nerd
Escrito por Raposo às 08h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil

Histórico

Outros Sites

Visitante Número